Futebol brasileiro

5 goleiros que o torcedor do Corinthians idolatra e outros 5 que a torcida quer esquecer

Lucas Humberto
Cássio é considerado por muitos o maior goleiro da história do Corinthians
Cássio é considerado por muitos o maior goleiro da história do Corinthians / LUIS ROBAYO/GettyImages
facebooktwitterreddit

Cássio está marcando toda um geração de torcedores do Corinthians. Antes dele, Ronaldo Giovanelli era um dos grandes símbolos da Fiel. No início dos anos 2000, só se ouvia falar do gelado Dida. Moral da história? A equipe do Parque São Jorge dificilmente constrói uma era vitoriosa sem um grande representante na meta.

Mas há o outro lado, claro. Já houve várias tentativas falhas que a torcida prefere fingir que não existiu. Aliás, algumas passagens de insucesso foram tão breves que a sensação é de esquecimento mesmo. Abaixo, nós listamos cinco arqueiros que a Fiel idolatra e outros cinco que a torcida quer esquecer.

5 goleiros idolatrados pela torcida do Corinthians

1. Cássio

Cássio, goleiro do Corinthians
Cássio segue emplacando recordes / Ricardo Moreira/GettyImages

Cássio desembarcou no Parque São Jorge em 2012 e não saiu mais. Considerado por muitos o maior goleiro da história do Timão, o camisa 12 segue empilhando grandes marcas. Recentemente, o gigante alcançou os 600 compromissos pelo Alvinegro e ultrapassou Ronaldo. Verdadeiro símbolo de alguns dos títulos mais importantes do Corinthians nesta era.

2. Ronaldo Giovanelli

Impossível não lembrar de Ronaldo Giovanelli ao tratar de conquistas emblemáticas do clube paulista. Ao longo de uma década (entre 1988 e 1998), o goleiro levantou cinco taças: Brasileiro-90 - o primeiro do Timão -, Copa do Brasil-95 e Paulistas de 88, 95 e 97. Para além dos feitos do passado, o ex-jogador é conhecido pela devoção ao time até hoje.

3. Dida

Dida, ex-goleiro do Corinthians
Dida levantou taças importantes pelo Alvinegro / Getty Images/GettyImages

Quando os grandes dias de Dida são mencionados, normalmente lembramos das milagrosas defesas na Europa. Mas nos corredores do Parque São Jorge, o nome do goleiro possui outro significado. De 1999 a 2000 e de 2001 a 2002, o atleta defendeu a meta alvinegra 94 vezes. Foram quatro troféus, incluindo um Mundial e um Brasileiro.

4. Gilmar

Gylmar não se firmou de primeira no Timão. Pelo contrário. Existiam muitas dúvidas acerca do desempenho do arqueiro, que tinha sido o mais vazado do campeonato em 1950. Ainda assim, ele lutou pela titularidade e, aos poucos, conquistou a exigente Fiel. Permaneceu no Parque São Jorge entre 1951 e 1961. Sagrou-se campeão da Copa do Mundo de 58.

5. Tobias

A noite do dia 13 de outubro de 1977 está gravada nos livros do Corinthians, assim como cada um dos personagens. Naquela data, os paulistas encerraram um jejum de 22 anos sem títulos. Tobias estava na meta. Isso apenas alguns meses depois do arqueiro participar da icônica Invasão de 76. Foram 125 partidas de pura idolatria.

5 goleiros que o torcedor do Corinthians quer esquecer

6. Silvio Luiz

Silvio Luiz, ex-goleiro do Corinthians
Silvio Luiz se tornou um dos protagonistas da campanha do rebaixamento / MAURICIO LIMA/GettyImages

Seja pelas circunstâncias da época ou por questões individuais, fato é que Silvio Luiz não deixa nenhuma saudades na Fiel. E a explicação é simples: lembrar do arqueiro é rememorar uma das piores crises da história do clube. Contratado em 2006, o goleiro acabou se tornando um dos protagonistas da campanha do rebaixamento.

7. Johnny Herrera

Conhecido mais pela excentricidade do que pelo futebol praticado, Johnny Herrera foi outra das apostas do conturbado ano de 2006. Destaque da Universidad de Chile, o goleiro não demorou muito para se transformar na terceira opção da comissão técnica. Não surpreende, afinal, ele conseguiu a proeza de ter a defesa vazada nove vezes em 13 oportunidades.

8. Renan

Destaque da Copinha, absoluto na meta do Avaí, com participação em amistosos da seleção, interesse da Europa... não tinha como dar errado, certo? Mas deu. Superando uma qualificada concorrência, o Corinthians anunciou a contratação de Renan em junho de 2011. No Parque São Jorge, o jovem empilhou atuações desastrosas.

9. Doni

Apesar do currículo de sucesso em termos de clube, Doni nunca caiu nas graças da torcida corintiana. Faltava regularidade. Em paralelo aos grandes desempenhos, o arqueiro protagonizava sucessivos equívocos difíceis de entender (ou até defender). Ele permaneceu no Timão entre 2001 e 2003, sem nunca ter conseguido status de absoluto.

10. Marcelo

Carlos Tévez, ex-atacante do Corinthians
Marcelo recebeu várias oportunidades, mas não conseguiu se firmar / MAURICIO LIMA/GettyImages

Nome mais polêmico da lista! Cria do Terrão, Marcelo talvez tenha sido dos "renegados" aquele que mais tenha recebido chances. Foram diversas oportunidades entre 2005 e 2008. Como o goleiro nunca conseguiu demonstrar potencial suficiente para segurar a pressão da posição, o Timão teve que recorre aos mais experientes. Não deixa saudades.

facebooktwitterreddit