5 coisas que aprendemos sobre o Brasileirão e seus protagonistas durante a data FIFA

Nathália Almeida
2020 Brasileirao Series A: Flamengo v Athletico PR Play Behind Closed Doors Amidst the Coronavirus
2020 Brasileirao Series A: Flamengo v Athletico PR Play Behind Closed Doors Amidst the Coronavirus / Buda Mendes/Getty Images
facebooktwitterreddit

A data FIFA veio para confirmar algumas 'suspeitas' e colocar alguns personagens sobre holofotes, fossem eles negativos ou positivos.

E como nós não gostamos de ficar em cima do muro, aqui vão algumas 'verdades inconvenientes' - sobre o Brasileirão, seus clubes e protagonistas -, que vieram à tona nestes últimos dez dias:


1. O Flamengo é muito favorito ao bicampeonato

Flamengo v Ceará - Brasileirao Series A 2019
Flamengo v Ceará - Brasileirao Series A 2019 / Bruna Prado/Getty Images

O período de instabilidade do Rubro-Negro sob nova direção durou menos tempo do que seus adversários gostariam. O futebol pode até não ser tão brilhante e avassalador como o de 2019, mas o fato é que o atual campeão brasileiro voltou a empilhar vitórias, com algumas de suas grandes estrelas voltando à velha forma. É muito favorito ao bicampeonato nacional.


2. Galo não tem fôlego para 38 rodadas de alto nível

Atletico Mineiro v Fluminense Play Behind Closed Doors Amidst the Coronavirus (COVID - 19) Pandemic
Atletico Mineiro v Fluminense Play Behind Closed Doors Amidst the Coronavirus (COVID - 19) Pandemic / Pedro Vilela/Getty Images

Apesar de todos os esforços feitos pela diretoria atleticana em atender as muitas demandas de Jorge Sampaoli, é evidente que há uma distância considerável de qualidade entre os elencos do Galo e do Flamengo. Isso fica ainda mais escancarado quando ambos sofrem perdas por lesão, convocação ou outro motivo qualquer: a reposição rubro-negra sempre vem em alto nível. No Alvinegro, nem tanto.

Mas 'material humano' não é o único grande desafio a ser superado pelo Atlético em sua missão pelo título brasileiro: a pressão interna e externa pela conquista pelo alto investimento e calendário vazio, além das longas décadas de seca, mexem mentalmente com o grupo.


3. Everton Ribeiro merece mais chances na Seleção

FBL-WC-2022-PER-BRA
FBL-WC-2022-PER-BRA / SEBASTIAN CASTANEDA/Getty Images

O camisa 7 do Flamengo é um dos jogadores mais regulares do futebol brasileiro nos últimos anos e só isso já deveria ser suficiente para lhe render um espaço maior em nível de Seleção. E os minutos recebidos por ele nas partidas contra Bolívia e Peru, pelas Eliminatórias, só testemunharam a seu favor: veio muito bem do banco de reservas nas duas ocasiões, criando jogadas agudas e participando diretamente do quarto gol canarinho contra os peruanos. Justiça, ainda que tardia.


4. Coudet precisa de tempo: seu Inter tem boas virtudes

Internacional v Gremio - Copa CONMEBOL Libertadores 2020
Internacional v Gremio - Copa CONMEBOL Libertadores 2020 / Alexandre Schneider/Getty Images

Após um setembro turbulento e que deu voz aos primeiros entusiastas pela ruptura do trabalho de Eduardo Coudet, o Internacional voltou à boa forma apresentada nas primeiras semanas de Brasileirão. São três vitórias consecutivas da equipe gaúcha, com três boas atuações.

Há muito a ser melhorado - especialmente a parte defensiva, que mostrou fragilidades diante do Sport -, mas há também muitas virtudes já evidentes nestes poucos meses de trabalho do argentino. É preciso destacar que o Colorado é quem tem o 'cobertor mais curto' dentre os clubes que hoje estão no G-4. Esqueçam os Gre-Nais e deixem Coudet trabalhar!


5. Rogério Ceni veio para ficar

2020 Brasileirao Series A: Flamengo v Fortaleza Play Behind Closed Doors Amidst the Coronavirus
2020 Brasileirao Series A: Flamengo v Fortaleza Play Behind Closed Doors Amidst the Coronavirus / Buda Mendes/Getty Images

Se ainda havia alguma dúvida sobre a capacidade de Rogério Ceni à beira da área técnica, outubro veio para pulverizá-la. As atuações corajosas e encantadoras aos olhos contra Galo (Brasileirão) e São Paulo (Copa do Brasil) - partidas marcadas por expulsões pra lá de discutíveis contra o Fortaleza -, reforçam como o jovem comandante veio para ficar. Organização, disciplina tática e ideias refrescantes de como fazer futebol são as marcas registradas de seu trabalho.


facebooktwitterreddit