Tottenham

4 jogadores do Tottenham que se recusaram a treinar para fechar transferências

Daniel Farias
Harry Kane parece não querer permanecer no clube | Tottenham Hotspur v Burnley - Premier League
Harry Kane parece não querer permanecer no clube | Tottenham Hotspur v Burnley - Premier League / Pool/Getty Images
facebooktwitterreddit

Por muitos anos, Harry Kane tentando deixar o Tottenham parecia algo impensável. Ele era o menino de ouro, o jogador que resumiu tudo de bom do clube. O atacante é tão inacreditavelmente bom que o Spurs teria que falhar miseravelmente para não ter um mínimo de sucesso com ele em campo.

Até certo ponto, eles tiveram sucesso. Eles nunca foram regulares na Champions League antes dele entrar em cena e certamente não teriam sido cotados para chegar à final dessa competição ou genuinamente disputar o título da Premier League sem ele.

A chance veio com Kane liderando um time brilhante, mas o Tottenham regrediu e um "sétimo lugar" não vai servir mais para o capitão da Inglaterra. O jogador parece ter iniciado seus movimentos para deixar o clube: ele deixou de comparecer a treinos da equipe.

Mas não é a primeira vez que essa estratégia é empregada no clube do norte de Londres. Aqui está o que podemos aprender com alguns casos antigos.

1. Dimitar Berbatov

Dimitar Berbatov
Berbatov acabou trocando de clube na Inglaterra | Middlesbrough v Tottenham Hotspur / Matthew Lewis/Getty Images

É compreensível que Berbatov não se arrependa de ter trocado o Spurs pelo Manchester United em 2008. Na verdade, ele fala muito sobre isso.

Antes do Tottenham perder a final da Copa da Liga para o Manchester City em abril, o búlgaro teve um comportamento muito parecido com o de Kane, afirmando que seu triunfo naquela competição apenas reforçou seu desejo de sair em busca de mais glória.

Ele ficou de fora de dois dos três primeiros jogos do Spurs no início da temporada 2008/09 e finalmente conseguiu sua tão sonhada transferência para o United, onde conquistou dois títulos da Premier League, um Mundial e uma Copa da Liga.

As negociações foram prolongadas e o Tottenham acabou trazendo Roman Pavlyuchenko antes que Berbatov fosse finalmente transferido para Old Trafford.

2. Luka Modric

Luka Modric
Modric deixou o Tottenham para fechar com o Real Madrid | Aston Villa v Tottenham Hotspur - Premier League / Shaun Botterill/Getty Images

Em retrospecto, o Tottenham deveria ter recebido muito mais do que os 30 milhões de euros que recebeu do Real Madrid em 2012, já que o jogador chegou a ser o vencedor da Bola de Ouro.

A transferência para a Espanha ocorreu um ano depois dos Spurs não cederem ao desejo de Modric de se transferir para o Chelsea. Harry Redknapp e Tottenham foram inflexíveis de que ele não estava à venda.

Ele perdeu alguns jogos no início da temporada porque não estava mentalmente bem, mesmo declarando seu desejo de partir para Stamford Bridge.

Em 2012, ele faltou treinamentos e não compareceu à turnê de pré-temporada do clube nos Estados Unidos para realmente confirmar a negociação. A transferência de 30 milhões de euros para o Real foi finalmente confirmada e desde então ele teve grande sucesso no Santiago Bernabéu.

3. Gareth Bale

Gareth Bale
Bale acabou retornando ao clube no futuro | Liverpool v Tottenham Hotspur - Premier League / Michael Regan/Getty Images

Bale acabou retornando ao Spurs quando precisava recuperar seu bom futebol antes da Euro 2020, mas sua primeira passagem não terminou de forma particularmente amigável.

A lenda do País de Gales deixou de treinar em agosto de 2013, após sua melhor temporada individual em White Hart Lane, marcando 21 gols e dando quatro assistências na Premier League.

Mas sua transferência para o Real Madrid foi paralisada, já que Levy não gostou do plano do time espanhol de pagar 86 milhões de euros de forma parcelada. O Real também havia acidentalmente anunciado as camisas de Bale online e montou um palco para sua apresentação no Bernabéu, antes que os Spurs tivessem realmente concordado com o negócio.

Naquela época, Bale só tinha olhos para o Real, e ele era publicamente seu alvo número um naquela janela de transferências, então o negócio sempre parecia provável se concretizar.

Faltar o treinamento enquanto também estava machucado funcionou e em setembro ele foi oficialmente anunciado como jogador do Real.

4. Harry Kane

Harry Kane
Kane é o grande nome do clube | ottenham Hotspur v Olympiacos FC: Group B - UEFA Champions League / Catherine Ivill/Getty Images

Na realidade, o Tottenham já vem se preparando para a eventual saída de Kane há alguns anos.

A falta de novas contratações no elenco, alguns erros gerenciais e algumas aparições ruins em finais fez com que os Spurs não conseguissem corresponder às expectativas de Kane, principalmente após as temporadas 2015/16 e 2016/17.

Mas de que forma Kane poderia tentar deixar o clube se ele ainda tem três anos de contrato? É aí que entra a questão da falta ao treinamento, pois pode forçar Levy a tomar uma decisão desconfortável.

No momento, o clube insiste em não o vender para um rival doméstico como o Manchester City - "rival" é uma forma interessante de ver as coisas, dado o recente domínio doméstico do City.

As informações agora dão conta de que, tendo faltado alguns dias da pré-temporada, Kane deve retornar ainda esta semana aos treinamentos.

Você sabe o que tornaria tudo um pouco mais fácil? Se o Manchester City simplesmente fizesse uma oferta melhor adequada ao valor de Kane. Mas, no momento, tudo está um pouco confuso e essa é uma saga que não parece que vai acabar logo.

facebooktwitterreddit