3 desafios de Duílio Monteiro, novo presidente do Corinthians

Antonio Mota
Duílio Monteiro Alves não vai ter vida fácil no Corinthians.
Duílio Monteiro Alves não vai ter vida fácil no Corinthians. / DJALMA VASSÃO/Gazeta Press
facebooktwitterreddit

O Corinthians tem um novo presidente: Duílio Monteiro Alves.  Eleito em pleito no último sábado (28), o cartola mantém a situação no poder corintiano pelos próximos três anos (2021/23). E, nesse período, ele vai ter que enfrentar muitos desafios e problemas deixados pelo seu antecessor Andrés Sanchez.

A seguir, confira 3 pontos que o mandatário vai ter que observar com muita atenção durante a sua gestão.

1. Dívida bilionária

O Corinthians enfrenta uma forte crise financeira.
O Corinthians enfrenta uma forte crise financeira. / Miguel Schincariol/Getty Images

A dívida atual do Corinthians gira em torno de R$ 1.4 bilhão, segundo informações do UOL Esporte. E Duílio Monteiro Alves vai ter que lidar com isso. O cartola precisa encontrar formas de sanar parte desse débito e ainda uma maneira de trabalhar com um rombo tão grande nos cofres da Neo Química Arena.

2. Olhos mais atentos ao Futebol

O Timão tem tomado algumas escolhas ao menos questionáveis no mercado da bola.
O Timão tem tomado algumas escolhas ao menos questionáveis no mercado da bola. / Alexandre Schneider/Getty Images

Duílio Monteiro vai ter muitas dores de cabeça com o futebol do Corinthians. Além da péssima fase dentro de campo, o time também tem cometido muitos equívocos no mercado, sobretudo no que diz respeito a contratações. O Alvinegro precisa ser mais cirúrgico na busca por reforços.

Sem contar que o clube precisa fazer uma boa avaliação sobre os contratos já firmados. O Timão tem muitos atletas e muitos deles, do atual grupo ou não, estão apenas gerando custos para a equipe.

3. Marketing e Sócio-torcedor

O Corinthians tem uma torcida gigante e precisa dela.
O Corinthians tem uma torcida gigante e precisa dela. / Miguel Schincariol/Getty Images

O Corinthians tem, segundo informações publicadas em junho pelo GE, cerca de 75 mil sócios-torcedores ativos. É uma boa quantia, mas, considerando a dimensão da Fiel, há muita margem para crescimento. A nova gestão deve se atentar a isso.

E mais: o marketing do clube também precisa melhorar. O Timão precisa utilizar melhores suas redes sociais, sua casa, sua camisa etc.

facebooktwitterreddit