Só os vira-casacas! Os 11 ex-gremistas que jogaram pelo Inter nos anos 2000

Próximo0 / 11

Com a chegada de Anderson no Beira-Rio, chega a 11 o número de ex-gremistas contratados pelo Inter só nos anos 2000. Alguns tiveram passagens importantes pelos arquirrivais de Porto Alegre, enquanto outros não deixaram saudade em nenhuma das torcidas.


Confira quem são os 11 vira-casacas!



Próximo0 / 11
Próximo1 / 11

1. Carlos Miguel - 2002

O meia-atacante presente nos grandes títulos do Grêmio na década de 90 virou a casaca em 2002. Contudo, com a camisa vermelha, teve um desempenho bastante apagado.


Na época de sua passagem pelo Inter, Miguel já chamava mais atenção por seus problemas com a balança.


Próximo1 / 11
Próximo2 / 11

2. Tinga - 2005

​Cria da base tricolor, Tinga teve uma boa passagem pelo Grêmio - estando inclusive presente no último título de expressão do clube, em 2001. O jogador defendeu o tricolor em mais de 200 jogos.


Infelizmente, o jogador é muito mais lembrado por sua passagem pelo co-irmão. 

Próximo2 / 11
Próximo3 / 11

3. Rubens Cardoso - 2006

​Outro que esteve presente no título tricolor da Copa do Brasil, em 2001. Rubens Cardoso rodou pelo futebol brasileiro até retornar a Porto Alegre em 2006, mas para defender o Internacional.


Foi titular na partida que definiu o título mundial dos colorados.

Próximo3 / 11
Próximo4 / 11

4. Bustos - 2008

Bustos não deixou saudades em nenhum dos lados de Porto Alegre. Decepcionou no Grêmio, onde chegou para ser uma espécie de novo Arce - especialmente pela qualidade na bola parada.


O Inter apostou em sua contratação e trouxe o jogador para o Beira-Rio. Em questão de meses, o colombiano já estava fora dos planos.

Próximo4 / 11
Próximo5 / 11

5. Everton Costa - 2010

Surgiu para o futebol no Grêmio, onde, em 2007, marcou um importante gol na campanha do vice-campeonato da Libertadores.


Rodou bastante até aparecer no futebol gaúcho novamente, só que pelo Caxias. O desempenho no clube da Serra chamou a atenção do Inter, que contratou o jogador. É outro que não deixa muitas saudades em nenhum dos times. ​

Próximo5 / 11
Próximo6 / 11

6. Rodrigo - 2010

Chegou para ser o xerifão tricolor em 2010. Mais tarde no mesmo ano, já estava no Internacional. 


Com a fama de ser um jogador de personalidade forte e ruim de vestiário, Rodrigo não durou muito no Grêmio depois da saída do técnico Silas. Chegou ao Inter para disputar o Mundial, mas acabou ficando de fora do fiasco contra o Mazembe por questões burocráticas.

Próximo6 / 11
Próximo7 / 11

7. Gabriel - 2013

​Depois de um 2010 quase perfeito na lateral do Grêmio, Gabriel parece ter desistido de jogar futebol. Sem conseguir repetir o desempenho daquele ano pelo tricolor, foi para o Beira-Rio. 


Do lado vermelho, história parecida. Após um começo relativamente bom, perdeu espaço e acabou esquecido pela comissão técnica.

Próximo7 / 11
Próximo8 / 11

8. Paulão - 2014

​É mais um que brilhou no Grêmio no segundo semestre de 2010 e depois parou no Inter. Paulão, o Caveirão, surpreendeu a todos mostrando-se um zagueiro seguro, apesar de não muito técnico.


Teve passagem apagada pelo Cruzeiro e reencontrou o bom futebol no Colorado.

Próximo8 / 11
Próximo9 / 11

9. Dida - 2014

​Depois de ser resgatado da aposentadoria pelo Grêmio, Dida não renovou contrato para 2014 e acabou encontrando uma casa no Beira-Rio.


O quarentão conseguiu assinar um contrato de dois anos, algo impensável para um jogador dessa idade. Perdeu a titularidade ano passado e hoje é o terceiro goleiro do Inter.

Próximo9 / 11
Próximo10 / 11

10. Réver - 2015

​Réver teve duas temporadas jogando em alto nível pelo Grêmio. Depois de passar pelo futebol alemão, voltou ao Brasil para ser o capitão do Atlético-MG na conquista da Libertadores.


Chegou a Inter este ano e deve ser titular na zaga vermelha.

Próximo10 / 11
11 / 11

11. Anderson - 2015

​Herói da Batalha dos Aflitos e bastante identificado com o Grêmio, Anderson surpreendeu e firmou contrato de quatro anos com o lado vermelho da cidade. 


Segundo o jogador, que tentou articular um retorno ao tricolor, pesou o fato de ele querer voltar a morar em Porto Alegre.


Uma pena.

11 / 11