Futebol Internacional

10 craques sul-americanos que falharam no futebol europeu

Rodrigo Salomao
Palermo chegou com seu companheiro Schelotto para defender a Villarreal
Palermo chegou com seu companheiro Schelotto para defender a Villarreal / AFP Contributor/Getty Images
facebooktwitterreddit

Celeiro de craques, a América do Sul já se acostumou em ser a principal fonte de jogadores para o futebol europeu. Todo ano são dezenas (e até centenas) de ótimos numes que saem para tentar a vida no Velho Continente. Uns saem com muita expectativa, outros nem tanto. Mas o fato é que nem todo mundo dá certo. Temos o clássico exemplo de Gabigol, com números destruidores no Brasil pelo Flamengo, mas de acanhada passagem pela Europa (por enquanto). Será que num futuro próximo ele se juntará a esta lista de nomes promissores que não vingaram lá? O tempo dirá. Enquanto isso, podemos checar os que com certeza deixaram a desejar. Confiram!

1. Robinho

Robinho
Robinho chegou ao Velho Continente como uma grande promessa e pouco acrescentou / Etsuo Hara/Getty Images

O atacante prometeu muito em seus primeiros dias no Santos, mas sua passagem pela Europa, incluindo aí Real Madrid, Manchester City e Milan, não foi o que o mundo esperava. Definitivamente.

2. Humberto Suazo

Humberto Suazo
O chileno não mostrou seu real potencial no futebol europeu / Miguel Tovar/Getty Images

O jogador do Chile sempre foi um atacante de ótimo nível, em quase todos os clubes onde passou deixou uma grande marca, mas a passagem pelo Real Zaragoza deixou muito a desejar. Durou meia temporada e voltou ao Rayados de Monterrey, equipe na qual é ídolo.

3. Eduardo Vargas

Eduardo Vargas
Vargas em ação pelo Galo / Miguel Schincariol/Getty Images

Mais um chileno. Apesar de sempre ir muito bem com a camisa do seu país e de ser um dos destaques do Galo neste momento, Vargas não se firmou no continente europeu, mesmo atuando por equipes como Napoli, Valencia, Queens Park Rangers e Hoffenheim.

4. Matías Fernández

Matias Fernandez "n"n
Meia conquistou títulos por La Roja / Mark Brown/Getty Images

O chileno (mais um!) foi considerado o melhor jogador da América antes de partir para a Europa e se tornou fundamental na seleção de seu país. Seu nível nunca explodiu e ele nunca conseguiu se adaptar a Villarreal, Sporting, Fiorentina e Milan.

5. Fernando Gago

Fernando Gago
Lesões atrapalharam muito a carreira do argentino / Etsuo Hara/Getty Images

O argentino é considerado um ídolo do Boca Juniors e defendeu a seleção de seu país. No entanto, durante a sua passagem pelo Real Madrid, foi criticado e nunca mostrou o seu real talento. A sua passagem pela Roma e pelo Valência também foi muito discreta.

6. Andrés D'Alessandro

Andrés D'Alessandro
Ídolo colorado, porém ofuscado na Europa / Marcelo Hernandez/Getty Images

O meio-campista argentino brilhou no River Plate e foi direto para a Europa, onde teve a oportunidade de passar por clubes como Wolfsburg, Portsmouth e Zaragoza. Não deu um bom passo no Velho Continente e por isso voltou para a América do Sul, onde se tornou um ídolo histórico do Inter.

7. René Higuita

Rene Higuita
Figura icônica na Colômbia e no Atlético Nacional, Higuita fez história / RAFAEL URZUA/Getty Images

O goleiro colombiano é considerado um dos melhores da história de seu país e é ídolo consagrado do Atlético Nacional. No entanto, teve uma passagem frustrante pela Europa, no Real Valladolid, onde durou apenas meia temporada. Um fracasso retumbante.

8. Ariel Ortega

CUP-FR98-ARG-NED-ORTEGA
Ortega era a grande esperança da Argentina na Copa de 1998 / DANIEL GARCIA/Getty Images

O "Burrito " Ortega, um brilhante meia que despontou no River Plate com números astronômicos (80 gols e mais de 100 assistências), nunca conseguiu se estabelecer em Valência, Sampdoria, Parma e Fenarbahçe. Sucesso, mesmo, só na América do Sul, apesar do enorme talento.

9. Martín Palermo

Martin Palermo
Martin Palermo chegou à Espanha cercado de expectativas / Getty Images/Getty Images

O atacante argentino se tornou um ídolo do Boca Juniors e não conseguiu manter o seu nível durante sua passagem pelo Villarreal. No Betis e no Alavés, Palermo também não conseguiu se destacar e logo voltou ao time de seu coração, no qual é uma lenda absoluta.

10. Carlos Valderrama

VALDERAMA
Valderrama sempre se destacou não apenas por sua longa cabeleira, mas também por um ótimo futebol / Simon Bruty/Getty Images

O meio-campista colombiano é considerado um dos melhores da história de seu país, assim como Higuita. Ele explodiu em times como Deportivo Cali e Junior de Barranquilla, mas não conseguiu se adaptar no velho continente com Montpellier e Valladolid.

facebooktwitterreddit