Em meio à forte crise financeira, intensificada pela pandemia do novo coronavírus, o São Paulo anunciou uma nova medida de contensão de gastos para evitar demissões: o corte de 50% dos salários dos funcionários do clube. Em decisão anterior, o Tricolor havia aplicado 25% de desconto dos vencimentos.

De acordo com informações do GloboEsporte.com, a agremiação paulista tomou a decisão com base em medida provisório do governo que permite a redução do vencimento proporcional a um corte na carga horário e vale a partir do próximo mês de junho.  A decisão abarca todos os funcionários, incluindo os diretores.


CT da Barra Funda.

Por sua vez, os jogadores profissionais não estão incluídos na ampliação do corte por terem participado de processo de redução salarial diferente – separado dos demais servidores do clube –, que cortou 50% dos vencimentos na CLT e suspendeu os direitos de imagem. Para tal, o São Paulo estabeleceu R$ 50 mil de piso e ainda vai pagar os valores atrasados de forma parcelada.

Em outro momento, o Tricolor chegou a negociar tal corte com o elenco, mas os atletas recusaram e o clube decidiu, por conta dos problemas financeiros causados pelo Covid-19, tomar uma decisão unilateral. Vale lembrar que os demais funcionários, diferentemente dos jogadores, não vão ser reembolsados no futuro.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique aqui.