Dizer adeus nunca é fácil para o torcedor, principalmente quando a despedida envolve alguém que mudou totalmente o patamar de seu clube do coração. Esta é a sensação de momento vivida pelos fãs do Manchester City, que verão um dos grandes ídolos contemporâneos da equipe azul partindo caminhos ao final da temporada 2019/20: David Silva.


Contratado em 2010 quando tinha apenas 24 anos de idade, o armador espanhol participou diretamente de toda a 'revolução de protagonismo' vivida pelo Manchester City nos últimos dez anos. Sua chegada foi um dos primeiros grandes investimentos bem sucedidos feitos pelo Sheikh Mansour - que já administrava o clube à época -, movimentação de mercado que gerou enorme euforia no torcedor do City: tratava-se de um campeão europeu (2008) e campeão do mundo (2010), títulos conquistados por Silva com a camisa da Espanha.


Logo em sua primeira temporada como jogador citizen, David Silva, ao lado de outros grandes nomes recém-chegados como Yaya Touré, trouxe a redenção para uma torcida sedenta por títulos. Após 35 anos de jejum doméstico - agravado pelo fato de que o arquirrival Manchester United havia se tornado, desde a década de 90, a maior potência do país -, o Manchester City voltava a conquistar uma competição nacional, a Copa da Inglaterra 2010/11. Esse título seria um ponto de mudança na história do clube: havia sido dada a partida para a grande 'era de ouro' do clube.


Manchester City v Stoke City - FA Cup Final

David Silva emplacaria a melhor temporada individual de sua carreira logo em 2011/12, sendo o grande nome da conquista da Premier League pelo City. Mais uma longa seca caía por terra ali, com o camisa 21 sendo eleito o craque da competição. Antes desse título, a última conquista do clube no principal torneio do calendário nacional havia sido em 1967/68, ou seja, foram 42 anos de espera para que o torcedor azul voltasse a se sentir 'dono da Inglaterra'.


Se estabelecendo ano após ano como uma das grandes potências financeiras do futebol mundial, David Silva foi perdendo espaço gradualmente, processo natural do futebol. Mas apesar da minutagem reduzida, continuou trabalhando silenciosamente e sendo uma influência pra lá de positiva nos vestiários e bastidores do clube. Foi o líder técnico da equipe no início dos anos 2010 e, na segunda metade dela, tornou-se um líder moral. Uma década de dedicação e conquistas, que o garante no rol de maiores referências da história do clube azul de Manchester.


Manchester City v Watford FC - Premier League

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique aqui.