​Para muitos analistas do futebol internacional, a decisão da Uefa de liberar cada uma de suas federações para determinar os campeões nacionais da forma que melhor entenderem foi vista como uma desistência de terminar as competições já iniciadas. No entanto, a informação de ​Paulo Vinícius Coelho aponta exatamente para o lado oposto. 


Lionel Messi


Segundo o jornalista do Grupo Globo, a entidade que comanda o futebol europeu está dando quase que um ultimato para que tudo que já começou tenha um ponto final até o dia 3 de agosto e, assim, o restante do mês esteja liberado para o que ele chama de uma superfinal da ​Champions League. "O plano é ousado e faltou coragem para a Uefa determinar as datas. Se tudo der certo, e depende da pandemia, a final da Liga Europa acontecerá no dia 27 de agosto e a decisão da Champions League em 29 de agosto. Desde sábado (18), esperava-se o anúncio das datas, mas na terça-feira (21) o diário francês L'Equipe anunciou que os dias e locais das finais não seriam reafirmados. Mesmo sem o anúncio das datas, o plano é este", afirmou.


Neymar


Na opinião de PVC, a Uefa foi confusa e contraditória durante a crise. Refutou, por exemplo, a definição da Bélgica em proclamar o Brugge como campeão antecipado, mas agora dá essa liberdade às federações desde que "o título seja definido de acordo com questões esportivas, não políticas nem discriminatórias". Ou seja, a classificação do dia da paralisação poderá ser utilizada como base para se apontar os novos campeões em países do Velho Continente. A ideia da entidade é ter seis datas livres em agosto para complementar as oitavas de final de sua principal competição e dar seguimento com as três fases restantes em um período curtíssimo de tempo.


Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique aqui.