Poderia ser pior se não fosse o goleiro Fábio. O Cruzeiro só não foi derrotado nesta sexta-feira, em pleno Mineirão, pelo Juventude, pelo fato de o arqueiro ter defendido um pênalti. Ou seja, ele mostrou mais uma vez por qual razão tem sua imagem intacta mesmo no momento em que o clube vive a maior crise da sua história e pena, até mesmo, para permanecer na Série B.


O duelo tinha apenas seis minutos de bola rolando quando a bola bateu na mão de Rafael Luiz após levantamento para a área. Era a chance de a equipe gaúcha abrir o placar e colocar mais pressão sobre o rival, que foi dirigido pelo interino Célio Lúcio. No entanto, Renato Cajá parou nas mãos de Fábio, que ali iniciava o seu jogo de número 902 na história da Raposa.


Aliás, esta foi nada menos que a 31ª cobrança da marca da cal catada pelo goleiro com a camisa do Cruzeiro. A partir disso, a equipe bem que tentou, principalmente no segundo tempo, estancar a sangria de maus resultado, mas ficou no 0 a 0. Após 16 partidas, o clube mineiro segue na penúltima colocação da tabela com apenas 13 pontos. Na próxima terça-feira, na cidade de Ponta Grossa (PR), o enfrentamento contra o Operário marcará a reestreia de Luiz Felipe Scolari no comando da equipe celeste. E ele sabe que, com Fábio, pode contar.


Para mais notícias do Cruzeiro, clique aqui.


Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.