O Barcelona, como dito pelo próprio gênio Lionel Messi, não faz a temporada que se imaginava. Com o vice na La Liga e eliminações frustrantes na Supercopa da Espanha e também na Copa del Rey, o clube culé caminha para um ano de fracassos, polêmicas e confusões. Agora, para tentar salvar – ou ao menos diminuir os ruídos no Camp Nou – o calendário 2019/20, resta apenas a Champions League, que, independente do resultado, não vai apagar o que foi feito de errado até aqui. Confira:   


1. Diretoria

Bartomeu e seus aliados não têm sido uma unanimidade no Camp Nou.

Os problemas do Barcelona começaram ‘de cima’: em sua diretoria. O presidente Bartomeu e seus aliados pouco acertaram ao longo da temporada 2019/20, na qual alimentaram a novela Neymar, investiram pesado em Griezmann (o que até então não se justificou), trocaram de treinador no meio do calendário europeu, polemizaram na troca de Arthur e Miralem Pjanić e muito mais. A lista é gigantesca e respalda os debates acerca da saída dos dirigentes.   


2. Setién e Sarabia

A dupla Setién e Sarabia não funcionou no Barça.

O Barcelona decidiu trocar de técnico no meio da temporada: sai Ernesto Valverde, entra Quique Setién. A ousadia, no entanto, não simbolizou uma grande mudança no desempenho culé, que não conquistou nada e ainda continuou apático em campo. Além de não ter reconduzido o time ao sucesso, o treinador ainda trouxe para o Camp Nou o falastrão Eder Sarabia, seu auxiliar técnico, que tumultuou o ambiente e mexeu até com o gênio Lionel Messi.


3. Luis Suárez

Em forma ou não, Suárez não entregou metade do que se esperava.

O uruguaio Suárez foi mais uma das decepções do Barcelona. É verdade que ele se machucou e ficou fora por quatro meses – o que foi 'aliviado' pelo tempo sem futebol por conta da pandemia do novo coronavírus –, no entanto, ele teve um desempenho muito aquém do esperado. Os números até ‘embaçam’ o julgamento, visto que ele disputou 34 partidas e contribuiu com 19 gols e 12 assistências. Porém, faltou poder de decisão e colaboração em jogos mais decisivos.   


4. Sistema defensivo

No geral, a defensa do Barcelona não foi bem.

O Barcelona, seja com o ex-treinador Ernesto Valverde ou com Quique Setién, passou por grandes problemas em seu sistema defensivo ao longo da temporada. Até agora, incluindo todos os torneios, o clube sofreu 52 gols em 54 partidas – dados OGol. Ou seja, o time foi vazado em praticamente todos os jogos que fez no ano.


5. Tropa francesa

Lenglet, Griezmann e cia.

O Barça começou a temporada 2019/20 com cinco franceses em seu plantel. Porém, ao longo do calendário, apenas Clément Lenglet conseguiu permanecer e ter alguma estabilidade. Já que Jean-Clair Todibo foi emprestado ao Schalke 04 e não indica que vai voltar. E que Samuel Umtiti e Ousmane Dembélé vivem mais no Departamento Médico Catalão do que nos gramados do Camp Nou. O último da lista: Antoine Griezmann chegou para ser uma das estrelas, mas, na prática, foi uma grande decepção.


6. Arthur

Sem o sucesso esperado na Espanha, Arthur vai tentar a sorte na Itália

Do ‘novo Xavi’ a moeda de troca: o meio-campista Arthur fez uma temporada para ser esquecida. Aos 23 anos, ele viu o seu nome ser mais falado pelo extracampo, com lesões e festas, do que pelos seus feitos dentro das quatro linhas: 28 partidas, 4 gols e 4 assistências. Agora, apesar de estar à disposição, o camisa 8 não deve ser aproveitado por Quique Setién.