​Procurado pela atual diretoria do ​Cruzeiro para conversar, Fred e seus representantes não aceitaram a proposta de readequação salarial apresentada pelo clube, movimento que o aproximou de uma despedida da Toca. O atacante já está liberado dos treinos celestes e deve se desligar oficialmente da Raposa nos próximos dias, desde que consiga resolver pendências que ligam as partes. Uma delas, por sinal, tende a gerar bastante polêmica.

​​Como destaca o ​Yahoo Esportes!, a grande questão de momento é, para além das dívidas trabalhistas que ainda existem entre clube/atleta - salários, bonificações, direitos de imagem e afins -, o 'interminável' imbróglio relativo à multa de R$ 10 milhões envolvendo o Atlético-MG.


Contratado pela Raposa em 2018, Fred pertencia, até aquele momento, ao arquirrival mineiro. Em seu contrato com o Galo, estava estabelecido que o centroavante teria que pagar R$ 10 milhões ao Alvinegro caso se transferisse imediatamente ao Cruzeiro. Desde então, Fred tem batalhado judicialmente para conseguir escapar do cumprimento deste acordo, mas vem sofrendo consecutivas derrotas em diferentes instâncias

Fred

O que tornou esta 'equação' complexa para o Cruzeiro foi o fato de que a gestão de Wagner Pires de Sá, ao assinar com o camisa 9, se comprometeu a assumir a dívida. Agora, diante de toda a mudança política-administrativa vivida pelo clube - todos os dirigentes antigos já renunciaram -, há um temor por parte do estafe do atleta quanto à 'herança' do compromisso. 


Caso o clube celeste não arque com a dívida de R$ 10 milhões, é possível que Fred seja mais um dentre os jogadores do elenco que optaram pelas vias jurídicas para reivindicar valores do clube. Thiago Neves, Fabrício Bruno, Éderson e ​David são alguns dos exemplos.