As conversas entre Eduardo Barroca, técnico, e Anderson Barros, responsável pelo futebol, são constantes. E têm um objetivo: encontrar um nome que possa reforçar o ataque do ​Botafogo. Depois da perda de Erik e sem contar com Biro Biro, que permanece em tratamento por conta de um suposto problema cardíaco, o clube foi ao mercado na tentativa de trazer um atleta de maior expressão, mas não conseguiu fechar a negociação com Nicolás Blandi, do San Lorenzo. Agora, os olhos se voltam para o mercado nacional, e as características deste novo atleta já estão definidas.


De torcedor para torcedor: clique aqui e siga o 90min no Instagram!




A ideia do Fogão é achar um jogador que atue pelos lados do campo. Ele não necessariamente precisa ter as características de Erik, que joga em velocidade e com dribles curtos. Mas precisa fazer bem o corredor. Claro, as possibilidades são um pouco restritas, já que é preciso achar alguém que não fez sete partidas no Brasileirão da Série A ou que defenda algum time das divisões inferiores do País. William Popp, do Figueirense, já foi descartado, e Denílson, que tem vínculo com o ​Atlético-MG e também esteve entre as cogitações, possui acerto encaminhado com o futebol português.



Recentemente, o Botafogo também foi atrás de Cueva, do Santos. A ideia era buscar um negócio sem custos para um contrato de empréstimo até o final do ano. No entanto, mesmo sob a argumentação de que o peruano poderia se valorizar atuando no Rio de Janeiro, o Peixe não aceitou a proposta. Sendo assim, ainda não é possível cravar quem será esta nova cara. Mas o fato é que Barroca deseja contar com mais esta opção por conta de eventuais lesões ou suspensões ao longo do Nacional.


Para mais notícias do Botafogo, clique ​aqui.