​Palmeiras se mexeu rapidamente no mercado às vésperas do fechamento da janela internacional e trouxe três reforços para o restante da temporada. O zagueiro Vitor Hugo e os atacantes Luiz Adriano e Henrique Dourado terão a missão de deixar o elenco de Luiz Felipe Scolari ainda mais preparado para conquistar o Campeonato Brasileiro e a Libertadores, essa última grande “obsessão” da diretoria e torcida. 


Para o setor ofensivo propriamente dito, as chegadas de Luiz Adriano e Dourado deixam o elenco com cinco centroavantes. Além da dupla de reforços, Felipão já contava com Borja, Deyverson e Arthur Cabral. É improvável que o plantel continue com tantas opções até o final de 2019, por isso um ou até dois jogadoras devem sair da Academia de Futebol. Nos bastidores, o nome mais próximo de uma saída é o de Arthur Cabral.

Contratado no ano passado após excelente passagem pelo Ceará, o jovem de 21 anos não emplacou sob a batuta de Felipão. No último sábado (27), ganhou uma oportunidade para jogar 90 minutos - fato que não tinha ainda acontecido na temporada -, mas teve atuação apagada no empate com o Vasco da Gama, curiosamente um dos candidatos a tê-lo por empréstimo até dezembro. No embate entre os clubes, no Allianz Parque, os presidentes Mauricio Galiotte e Alexandre Campello conversaram sobre o assunto e a posição do Verdão é esperar até o fechamento da janela nacional - 31 de agosto - para uma possível oferta pelo centroavante. 


De acordo com o ​jornalista Gilmar Ferreira, do jornal Extra, Arthur vem sendo monitorado por clubes do futebol mexicano e a direção do Palmeiras aguarda por uma proposta pelo jogador. A janela de transferência no país da América do Norte fecha somente em 5 de setembro. A expectativa pelo lado palestrino é que chegue uma oferta de, pelo menos, R$ 5 milhões, preço que o Alviverde pagou ao Ceará pelo camisa 39.

Desde que pisou na Academia de Futebol, em janeiro, Arthur só disputou cinco partidas, com um gol marcado, ainda no Campeonato Paulista. Caso não venha nenhuma proposta do exterior, o centroavante tende a ser emprestado. O Vasco, pelo histórico de parceria com o Palmeiras, é o favorito. O Grêmio, de Renato Gaúcho, até tentou comprar o atleta, mas a diretoria alviverde rechaçou reforçar o rival da Libertadores.