​Vasco da Gama pós-Copa América, definitivamente, é outro. Depois de amargar rodadas na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, a chegada de Vanderlei Luxemburgo deu um novo rumo ao time, que, três jogos depois da volta do torneio, já se vê um pouco mais longe do Z-4 e capaz de brigar por objetivos maiores na temporada. No último sábado (27), por exemplo, o Cruz-Maltino conseguiu somar um ponto diante do então líder Palmeiras, no Allianz Parque.


De fato, Luxa conseguiu recuperar o psicológico do elenco cruz-maltino e os jogadores compraram a ideia do “projeto”. Ainda assim, o comandante aguarda a chegada de mais um ou outro reforço para fechar seu plantel. Durante a Copa América, a diretoria conseguiu anunciar dois jogadores novos - o meia Marquinho, ex-Athletico-PR, e o volante Richard, que foi emprestado pelo Corinthians. Resta um centroavante para a vaga antes ocupada por Maxi López.


Weverson Leandro Moura

O perfil ideal do tão sonhado "camisa 9" para o presidente Alexandre Campello seria um jogador livre no mercado, ou em final de vínculo dada à grave situação financeira que atravessa o Vasco. Por isso vários nomes são oferecidos por meio de empresários e intermediários à comissão técnica, porém nenhum até aqui convenceu. Reportagem do ​perfil "Detetives Vascaínos", que traz informações quentes dos bastidores de São Januário, informa que o Cruz-Maltino sondou a situação de dois atacantes nos últimos dias. 


A direção vascaína procurou saber valores de possíveis negociações envolvendo os brasileiros Leandro, ex-Grêmio e Palmeiras, e Ademilson, revelado nas categorias de base do São Paulo. Ambos estão no futebol japonês: Leandro defende hoje o Kashima Antlers, enquanto que Ademilson vem defendendo o Gamba Osaka. Os dois jogadores já podem assinar um pré-contrato com qualquer outro clube, já que seus vínculos se encerram em janeiro de 2020.


Vale citar que o Vasco não avançou em nenhum dos "candidatos". Foram sondagens por ambos os atacantes, que estão adaptados ao país, porém se Luxa der o aval, a tendência é que alguma oferta chegue ao Japão. Lembrando que a janela de transferências para a chegada de reforços internacionais ao Brasil fecha na próxima quarta-feira (31). 


Revelado no Grêmio, Leandro foi considerado o melhor jogador do Campeonato Gaúcho de 2011 ao lado de Leandro Damião, do Internacional. O Colorado acabou ficando com o título, o que tirou um pouco do brilho do atacante tricolor. Em 2013, ele se transferiu para o Palmeiras - na polêmica troca com Barcos - e ajudou o time a voltar à elite do Campeonato Brasileiro. O troféu da Série B o permitiu ser lembrado por Luiz Felipe Scolari na Seleção Brasileira. 


A partir daí, Leandro não repetiu o desempenho e começou a ser perseguido pela torcida palmeirense. Em 2015, foi emprestado ao Santos, mas só marcou um gol durante o período na Vila Belmiro. Na temporada seguinte, defendeu o Coritiba, onde se destacou com 12 gols. O Verdão conseguiu vender o atleta em definitivo ao Kashima em 2017, onde foi campeão da Supercopa do Japão (2017) e a Liga dos Campeões da Ásia (2018).

Já Ademilson se orgulha de ter disputado mais de 100 partidas com a camisa do São Paulo, onde despontou para o futebol. Em 2012, o atacante fez parte do elenco vencedor da Copa Sul-Americana, exatamente o último título do Tricolor. Ele permaneceu no Morumbi até 2015, quando foi emprestado ao Yokohama Marinos. Em 2016, foi repassado ao Gamba Osaka, clube que o compraria em outubro daquele ano.