​Contratado em maio - momento em que o ​Vasco ainda detinha o posto de lanterna do Brasileiro -, Vanderlei Luxemburgo chegou ao clube carioca repetindo um termo à exaustão, como se fosse um mantra para seu trabalho: reconstrução. E é exatamente isso que o veterano treinador tem buscado nos primeiros meses em São Januário, recuperando o Cruzmaltino moralmente e tornando-o novamente competitivo.


Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

​​Como destaca o ​UOL Esportes, o comandante não tardou para fazer do Vasco a sua cópia, promovendo diversas alterações em comparação à estrutura anterior: Pikachu voltou a ser lateral-direito, Henríquez assumiu a vaga de Werley na defesa, Richard dominou o meio-campo, setor de formação mais 'conservadora' com três volantes. Estancar a ​​sangria defensiva era o objetivo número um, e isso parece já ter sido alcançado por Luxemburgo.


A produção ofensiva limitada ainda persiste e incomoda, sendo este o setor que mais gera 'dor de cabeça' ao treinador. Diversas variações táticas já foram testadas, mas a carência de um centroavante de origem e o material humano limitado dificultam o melhor rendimento do ataque cruzmaltino. Ainda assim, a equipe tem conseguido competir em bom nível, batendo rivais mais fortes como o Internacional e dando muito trabalho para Grêmio e Palmeiras.

​​O grande mérito de Luxemburgo foi rapidamente identificar o cenário de 'terra arrasada' em São Januário e buscar fazer o simples diante disso, reconhecendo as limitações de seu elenco e potencializando o que há de melhor nele. Ainda que passe longe de ser o jogo mais vistoso da Série A, tem sido eficiente e organizado em sua proposta, exatamente o que o clube precisava para reagir no Brasileirão e rechaçar o 'fantasma' do Z-4 que assola São Januário de forma constante nos últimos anos.