A situação entre Lucas Romero e Cruzeiro ainda está em aberto e não há prazos para que seja resolvida. ​Em meio a duas competições de mata-mata, as investidas pelo jogador crescem e a Raposa se defende como pode, mesmo com o iminente desejo do jogador de voltar ao seu país de origem. Diante disso, o que clube celeste pode fazer em relação ao versátil volante? A gente analisa para vocês. 


FBL-LIBERTADORES-RIVER-CRUZEIRO

​​Ao final da ​partida da última terça-feira, pelas oitavas de final da Copa Conmebol Libertadores, frente ao River Plate-ARG, o Cruzeiro recusou uma nova proposta feita pelo Independiente por Romero. O clube argentino pagaria, parceladamente, US$2 milhões ao clube mineiro, e o perdoaria da dívida de US$600 mil referente ao jogador Matías Pisano, pendência esta, que já teve seu valor penhorado, o que torna um tanto quanto estranho ela ter sido usada como agente na tentativa de negociação. 


De fato, o dinheiro oferecido pelo maior vencedor de Libertadores não condiz com a qualidade e versatilidade do jogador, que se tornou fundamental para o esquema de Mano Menezes. Desde que chegou ao Cruzeiro, em 2016, o volante se mostrou um tipo de "jogador multi-funções", atuando de primeiro e segundo volante, e tanto na lateral direita, quanto na esquerda. 


Certamente, o clube estrelado não pode e não deve negociar o jogador por valores tão baixos, já que, além de ter poucos volantes em seu plantel após a volta de Lucas Silva ao Real Madrid, existem poucos jogadores no futebol mundial que façam tantas funções como o argentino. 


Segundo rumores saídos de dentro da Toca da Raposa, o atual bi-campeão da Copa do Brasil teria pedido algo em torno de R$15 milhões para iniciar negociações. Por outro lado, os dirigentes do Independente deixaram claro seu interesse pelo jogador, mas que não farão loucuras para contratá-lo. 


Lucas Romero,Maia

Sendo assim, caso uma nova proposta pelo jogador seja recusada pela Raposa, há duas possibilidades: O atleta forçar sua saída do clube, assim como fez o Arrascaeta no início deste ano, ou cumprir seu contrato, que vai até fevereiro de 2021 até o final, e após isso, sair de graça (ou não) para o clube desejado, assim como fez seu conterrâneo, Walter Motillo, no final de 2012. 


A primeira dela, acredito eu ser a mais difícil de acontecer. Lucas não tem o mesmo perfil pessoal que Arrascaeta e a relação entre jogador, empresários e o Cruzeiro, aparentemente não foi afetada pela negociação. Mesmo com esta em andamento, o argentino de 25 anos segue atuando (e bem) pela Raposa e treinando firme juntamente com seus companheiros de time, que ao que parece, também não querem a saída do atleta. 


A segunda delas é de fato, a mais provável que aconteça. Romero já demonstrou imenso carinho e admiração pelo clube e por sua torcida, afirmando, inclusive, que são sua família enquanto está aqui no Brasil. Certamente, não é 100% confiável acreditar em palavras de jogadores nos dias de hoje, mas pelo perfil apresentado desde que chegou ao clube, e pela atitude do jogador no decorrer das negociações, acho extremamente difícil que o jogador saia pela porta dos fundos do clube. 

A única certeza que temos é que este assunto não parará por aqui. O desejo do volante neste momento é de voltar para a Argentina, assim como o de sua esposa que está grávida, e segundo o próprio jogador, seu futuro ainda está em aberto e muita coisa pode acontecer até o fim de seu contrato no Cruzeiro.