​Na última semana, o ​Fluminense anunciou dois reforços importantes para seu sistema ofensivo: Nenê, experiente meio-campista vindo do São Paulo; e Wellington Nem, atacante de 27 anos formado nas categorias de base tricolores, que pertence ao Shakhtar Donetsk. O esforço para repatriar um atleta querido pela torcida e de origens em Xerém, por sinal, faz parte de uma 'nova política' de contratações que deve guiar a gestão de Mário Bittencourt.


Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

​​Como destaca o ​UOL Esportes, uma das plataformas do mandatário durante o período eleitoral era de resgatar o Fluminense forte e vitorioso do início da década, anos de ouro do clube sob patrocínio da Unimed. Neste caldo, alguns ídolos e referências de outrora, ainda que envelhecidos, começam a retornar ao imaginário de dirigentes e torcedores.


"Wellington Nem tem uma relação com a gente absurdamente próxima e fraterna. Quando ele teve uma lesão no púbis ano passado, veio se tratar no Fluminense. Ele é tricolor, acompanha os jogos", afirmou Bittencourt, durante apresentação do reforço.

Wellington Nem

Além do veloz ponta, ex-tricolores como Thiago Neves e Fred - este apontado de forma unânime como o grande ídolo contemporâneo do clube -, pintam como alvo do Fluminense para 2020. Obviamente, os dois atletas precisariam fazer concessões para retornar, já que o time das Laranjeiras vive realidade totalmente distinta dos 'anos de ouro'.


Crédito da foto de cobertura: @FluminenseFC