​A repercussão e os desdobramentos do Atletiba deste domingo (19) seguem à toda. Ainda na noite de ontem, a FPF (Federação Paranaense de Futebol), através de seu presidente Hélio Cury, alegou que o impedimento da realização da partida havia ocorrido por conta da presença de profissionais não-credenciados à beira do campo.


A nota oficial emitida pela FPF declara que o impedimento nada teve a ver com o uso das plataformas digitais e transfere toda a responsabilidade do cancelamento da partida aos clubes, que "desobedeceram a ordem do árbitro de retirar pessoas não-credenciadas do gramado." (trecho da nota oficial)

Entretanto, um material exclusivo da UOL Esportes revelou o diálogo entre o quarto árbitro, Rafael Traci, e os presidentes dos clubes. A fala de Rafael desmente a versão da FPF e denuncia o motivo real do veto ao jogo: "O pessoal não pode transmitir porque não é a detentora do campeonato. É isso que a gente recebeu de informação. Se continuarem eles (funcionários da transmissão) dentro do campo, nós não podemos ter essa partida".


A partir dessa informação, as diretorias de Atlético-PR e Coritiba, em comum acordo, decidiram por não seguir adiante com a partida. Os dois times entraram em campo, reverenciaram os torcedores presentes na Arena da Baixada e se retiraram.

Atletas de Coxa e CAP reverenciam torcedores presentes e se retiram

A transmissão via Youtube/Facebook foi uma alternativa criada pelos clubes, uma vez que não houve acordo entre eles e a Rede Globo para a cobertura dos times no Campeonato Paranaense 2017.


A emissora também se pronunciou acerca do episódio, se isentando de qualquer interferência na decisão: "Entendemos que cabe aos clubes dispor livremente dos direitos nos jogos em que se enfrentam, e estávamos cientes inclusive da transmissão via Internet".