​O Fluminense tentou agradar Gustavo Scarpa, que entrou na ​Justiça pedindo a rescisão do contrato de trabalho e cobrando uma dívida de R$ 9 milhões. Pagou a ele todos os atrasados de forma emergencial tentando reverter esta situação e evitar mais prejuízos financeiros no futuro. Porém, isso desagradou o restante dos jogadores, conforme informação do ​Globoesporte.com.



Embora a intenção do Tricolor seja quitar os débitos durante o mês de janeiro com o dinheiro (R$ 29,1 milhões) oriundo da venda de Wendel para o Sporting, de Portugal, os atletas não obtiveram por parte da diretoria nenhuma atualização a respeito desta realidade. E mais: tiveram a confirmação por parte do próprio Scarpa de que ele havia recebido. Claro, pairou o sentimento de que “nós estamos aqui entendendo a situação e não nos pagaram”.



Excetuando-se justamente o meia, que não se reapresentou, o grupo tem adotado um comportamento altamente profissional. Não houve registro de falta, atraso ou mau comportamento. Resta saber até quando isso vai durar, uma vez que se cogita até mesmo tentar junto ao técnico Abel Braga uma ação mais definitiva. O Flu deve o salário de novembro, quatro meses de direitos de imagem, além dos 13º e férias de 2016 e 2017.